Conjunto de edifícios da reitoria da UFPR - Edifícios Dom Pedro I e Dom Pedro II - Curitiba

Inscrição: 123-II

Processo: 02/95

Data da Inscrição: 08 de novembro de 1999

Localização:
Município de CURITIBA
Rua XV de Novembro, 1299

Proprietário: Governo Federal

HISTÓRICO

A Universidade Federal do Paraná tem uma história que impressiona pela audácia e criatividade de seus idealizadores. Num momento onde o país sofria modificações estruturais tanto nos aspectos políticos, econômicos e, principalmente, sociais, ela aparece no cenário brasileiro para colocar o Paraná na vanguarda da educação superior em todo o país. Por isso ela é considerada a primeira universidade do Brasil, inaugurada no ano de 1916. 

Com a chegada dos imigrantes (a partir da metade do séc. XIX), encontraremos nas duas primeiras décadas deste século, em diversas cidades brasileiras, movimentos sociais representados, principalmente, pelo crescente movimento operário. Particularmente, em Curitiba, isso também acontece, modificando o conceito existente sobre os habitantes dessa cidade, considerados pacatos e recatados como está ressaltado e registrado nos comentários de vários viajantes e pesquisadores que por aqui passaram (por exemplo: Saint-Hilaire e Bigg-Witter). O Paraná está inserido nesta dinâmica sociocultural. É o momento desse jovem estado mostrar toda a sua capacidade intelectual numa entidade que vai representá-lo e mostrá-lo como um centro de excelência em todo o Brasil e outras partes do mundo. “...Num balanço de profundidade do passado e do presente do Paraná, pode-se discernir as etapas, pois, sem dúvida, a sua ascensão não se interrompeu em fase alguma. Entretanto, é certo que, de duas décadas a esta parte, é que o surto de um desenvolvimento excepcional o atingiu em todos os campos de suas atividades, partindo da cultural que, através da Universidade do Paraná, culminou derramando-se por todos os setores magníficos do saber” (Heitor Stockler de França, 1965 ). (1)

A partir da década de 1930, alguns intelectuais paranaenses tinham a intenção de criar, em nossa capital, uma faculdade de filosofia dentro dos padrões já existentes, por exemplo, na Universidade de São Paulo. O principal objetivo desta instituição seria de ampliar a cultura no domínio das ciências puras; promover e facilitar a prática de investigações originais, desenvolver e especializar conhecimentos necessários ao exercício do magistério; sistematizar e aperfeiçoar a educação técnica e científica para o desempenho profícuo de diversas atividades nacionais (2). Todo o esforço e empenho foi coroado de êxito com a criação da esperada faculdade no ano de 1938. 

Desde a sua fundação a faculdade funcionava em prédio alugado no Instituto Santa Maria, de propriedade dos Irmãos Maristas. Por diversos motivos, financeiros entre outras, optou-se pela construção de um prédio próprio para a instalação da Faculdade de Filosofia. A ideia inicial era construí-lo na Praça Santos Andrade onde já existia o complexo principal da universidade. “Todavia, o novo governador eleito do Paraná anunciou o seu projeto de construir o Palácio do Governo, no referido terreno do Estado, chegando a ser cogitada a mudança da Faculdade para o Colégio Estadual do Paraná, recentemente inaugurado. Finalmente, decide-se a Reitoria pela construção de um conjunto de edifícios que sediariam a Reitoria, a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras e a Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas, em terreno adquirido pela Universidade à Rua XV de Novembro e nas imediações do velho prédio da Universidade”. (3)

Curitiba, desde 1916 até hoje é considerada uma cidade universitária importante. São estudantes das mais diversas partes do Paraná, do Brasil e outros países que por aqui aportam afim de conseguirem uma vaga nas cadeiras dos diversos cursos oferecidos pela universidade, a qual é reconhecida como uma das melhores do país. Entre o final da década de 1940 e início da de 1950, o então Reitor Flávio Suplicy de Lacerda juntamente com o esforço de outras pessoas, lançava-se a hercúlea tarefa de federalizar a Universidade. Obteve êxito através de Lei 1.254, de 04 de dezembro de 1950, sancionada pelo Presidente da República Eurico Gaspar Dutra e pelo Ministro da Educação Pedro Calmon.

A Faculdade de Ciências e Letras tornou-se um espaço de excelência para a formação de professores a nível universitário pois, até então, não existia. Segundo estudiosos e pesquisadores paranistas a inteligentzia paranaense está dividida em dois momentos distintos, ou sejam: antes e depois da Reitoria

Em 1954 iniciava-se trabalhos de pesquisa nas áreas de Zoologia, Etnografia e Genética. Também, nessa mesma época é organizado pela professora Cecília Maria Westphalen a Faculdade de História, que desde então vem desenvolvendo projetos de pesquisas relevantes acerca da história do Estado do Paraná. Estes são exemplos de como esse importante espaço do saber transformou o Estado em um canteiro onde floresceram importantes cientistas reconhecidos nacional e internacionalmente.

Em 26 de abril de 1956 é inaugurado o edifício da Faculdade de Ciências Econômicas, onde foi provisoriamente abrigada a Faculdade de Filosofia e Ciências. O prédio construído na rua General Carneiro foi inaugurado em agosto de 1958 e denominado Edifício D. Pedro I por ocasião das comemorações do Sesquicentenário da Independência do Brasil. O complexo , depois de todo construído,(4) tornou-se o mais importante espaço para a formação intelectual e de pesquisa do Paraná, congregando várias faculdades e cursos. Isso constituiu numa experiência inédita o que possibilitou o contato direto e interdisciplinar entre todos os universitários dos mais diversos cursos. Na chamada de primeira página do Jornal Tribuna do Paraná de 17 de outubro de 1958 encontramos o título: Impressionante evolução de Curitiba como cidade universitária. Este, como outros jornais da capital e do interior do Estado anunciavam a inauguração do complexo de edifícios da Reitoria que contou com a presença de várias autoridades como o Ministro da Educação Clóvis Salgado, representante oficial do Presidente da República e o Governador do Estado do Paraná, Moisés Lupion. “A nova universidade: foto estampa aspecto do majestoso edifício, cuja inauguração fora marcada para hoje, ficando, portanto, concretizado o sonho de muitas gerações, graças ao dinamismo criador do Sr. Reitor Flávio Suplicy de Lacerda, competente Reitor da Universidade do Paraná”. ( A Tarde, 17/10/1958 ).(5)

Conforme depoimento prestado pelo Professor Jayme Antônio Cardoso, no projeto original o edifício da reitoria deveria abrigar a Biblioteca Central e, onde é a Biblioteca Central deveria ser o salão de festas para os estudantes com a denominação de Palácio dos Estudantes. A história que envolve o conjunto de prédios está intimamente ligado ao Professor Flávio Suplicy de Lacerda, ex-reitor da UFPR. Foi ele quem trouxe o projeto do MEC (Ministério da Educação e Cultura) e o implantou. O MEC possuía vários projetos prontos e o professor Flávio pegou aquele que estava mais disponível. Havia uma certa urgência pois era preciso entregar o projeto ao MEC para que as verbas já requisitadas pudessem ser liberadas e não havia tempo hábil para isso. Só que este projeto tem um peculiaridade era para ser implantado na região nordeste mas, mesmo assim, foi construído.(6)

A Reitoria, como é conhecido todo o complexo de prédios, tornou-se, ao longo dos anos, referência para localização espacial dentro da cidade de Curitiba e local para as mais diversas manifestações sociais. Um exemplo que a destacou dentro da sua história, aconteceu no ano de 1968, onde os estudantes se rebelaram contra a conjuntura político-educacional.

Durante todo esse tempo os edifícios da Reitoria sofreram algumas modificações internamente e externamente. Na década de 1980, por exemplo, o pátio que até então era exclusivo para o estacionamento de carros passou por uma remodelação. Hoje é uma praça onde estudantes, professores, funcionários e transeuntes utilizam-na como espaço de lazer.

(1) - França, 1965.
(2) - Westphalen.
(3) - Westphalen.
(4) - O prédio da Reitoria, o anfiteatro e prédio que abriga as faculdades de administração, entre outras.
(5) - A Tarde.
(6) - Cardoso.

GALERIA DE IMAGENS

  • Conjunto de edifícios da reitoria da UFPR - Edifícios Dom Pedro I e Dom Pedro II - Curitiba
    Conjunto de edifícios da reitoria da UFPR - Edifícios Dom Pedro I e Dom Pedro II - Curitiba - Livro Tombo - Inscrição 123 - Página 115
    Conjunto de edifícios da reitoria da UFPR - Edifícios Dom Pedro I e Dom Pedro II - Curitiba
    Conjunto de edifícios da reitoria da UFPR - Edifícios Dom Pedro I e Dom Pedro II - Curitiba
    Conjunto de edifícios da reitoria da UFPR - Edifícios Dom Pedro I e Dom Pedro II - Curitiba
    Conjunto de edifícios da reitoria da UFPR - Edifícios Dom Pedro I e Dom Pedro II - Curitiba - Livro Tombo - Inscrição 123 - Página 115
    Conjunto de edifícios da reitoria da UFPR - Edifícios Dom Pedro I e Dom Pedro II - Curitiba - Livro Tombo - Inscrição 123 - Página 115
    Conjunto de edifícios da reitoria da UFPR - Edifícios Dom Pedro I e Dom Pedro II - Curitiba - Livro Tombo - Inscrição 123 - Página 115