Tombamento

Os primeiros bens tombados a partir da vigência da lei estadual N.º1.211, basicamente ratificaram os tombamentos já realizados pelo governo federal através do IPHAN.

A partir de meados dos anos 1960 houve o desenvolvimento de um reconhecimento próprio sobre a importância do patrimônio cultural existente no Estado.

Uma indagação frequente refere-se a:

“O QUE FOI TOMBADO?”

Para um primeiro reconhecimento dos bens tombados, está organizada uma tabela, reunindo-os em grupos assemelhados de usos ou características.

CENTRO HISTÓRICO  
  02
  37
RESIDÊNCIA 
EDIFICAÇÃO RELIGIOSA  
  18
  07
PALÁCIO e PALACETE 
ESTAÇÃO DE PASSAGEIROS  
  14     06   MONUMENTO 
EDIFÍCIO PÚBLICO ou de uso COLETIVO  
  28     06   PAISAGEM URBANA 
EDIFÍCIO DE ENSINO  
  10     07   ÁRVORE URBANA 
FORTIFICAÇÃO e INDÚSTRIA  
  04     09   PARQUE e área NATURAL 
PONTE  
  04     09   IMAGEM, ESCULTURA e PINTURA 
FAZENDA  
  03     05   DOCUMENTOS e OBJETOS 

A distribuição dos bens tombados segundo essas categorias não tem caráter de classificação, mas serve apenas como um demonstrativo de que um patrimônio cultural perpassa várias definições e qualificações, quanto a uso ou origem de sua formação inicial.
Recomendar esta página via e-mail: