Patrimônio Documental

 
Para quem trabalha com história (patrimônio histórico, cultural) o conceito de documento/fonte é mais abrangente que os populares documentos pessoais. Para profissionais de outras áreas que trabalham com patrimônio histórico/cultural, tudo o que uma população humana registra e testemunha é fonte para a história desta população.


Para os historiadores existe a exigência de que um documento, uma fonte de pesquisa, seja comparada e confrontada com outras fontes documentais para que o historiador entenda uma verdade dos fatos que os documentos afirmam como algo acontecido.


Quanto mais documentos, indícios, testemunhos e registros afirmarem que o fato ocorreu, maior a certeza científica da verdade dos fatos que eles revelam.


Isto significa que, na preservação do patrimônio, é necessário conservar vários registros da vida de uma população para entender seu modo de viver, pensar, crer e produzir numa determinada época e lugar.


A vida em sociedade deixa marcas, registros, documentos, fontes de pesquisa que compõem um leque imenso que vai desde o lixo que informa, desde hábitos de consumo até a forma de se organizar no trabalho e na política.


Estes registros ordenados são documentos, pois a comparação entre eles lhes atribui status de registros sobre fatos verdadeiros.


No arrolamento de fontes e registros opera-se o trabalho de conservação e divulgação do patrimônio histórico, cultural, arquitetônico, religioso.


Algumas referências no Paraná


Museu Paranaense
Museu do Expedicionário
Museu da Imagem e do Som
Biblioteca Pública do Paraná
Arquivo Público do Paraná
Casa da Memória
Arquivos de Instituições Públicas Arquivo de Antonina tombado pelo Estado
Arquivos de Igrejas
Acervos Fotográficos

 

Ver Lei Federal sobre a política nacional de arquivos públicos e privados

Recomendar esta página via e-mail: