ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE IBIPORÃ

 

ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE IBIPORÃ

 

Inscrição Tombo 138-II
Processo Número 01/99
Data da Inscrição: 13 de novembro de 2.001

Localização: Município: IBIPORÃ
  Avenida Mário Menezes esquina com Rua João Barreto
Proprietário:  
  Particular - Rede Ferroviária Federal S.A.
 
 
 

HISTÓRICO

A Estação Ferroviária de Ibiporã está situada na Linha Ourinhos-Cianorte e foi construída no período em que a ferrovia recebeu investimentos de capital inglês. A sua inauguração oficial ocorreu no dia 15 de julho de 1936.(1)

A Companhia Ferroviária São Paulo – Paraná, de iniciativa privada (empresários paulistas), originalmente foi denominada Companhia Ferroviária Noroeste do Paraná (Decreto Estadual n.º 896 de 2/agosto/1920)(2) . A partir de 1923 a empresa passou a designação de Companhia Ferroviária São Paulo – Paraná.(3) 

Na década de 1930, capitalistas ingleses estavam interessados em investir no Brasil. Um destes investimentos foi o financiamento para a continuação da estrada de ferro no norte paranaense. A Companhia de Terras Norte do Paraná (CTNP), subsidiária da Paraná Plantations Syndicate Limited comprou em 1928 quase todas as ações da ferrovia São Paulo – Paraná.(4) 

Pelo Decreto Estadual n.º 450 (20/abril/1928) a Companhia teria a concessão para construção da estrada de ferro e o privilégio de explorá-la por 90 anos. Em função dos prejuízos da Segunda Guerra Mundial, a Inglaterra coloca a venda seus empreendimentos no exterior e em 1942, a Companhia de Terras Norte do Paraná e a Companhia Ferroviária São Paulo – Paraná são vendidas para empresários brasileiros.(5) 

O Governo Federal, no ano de 1944, através do Decreto n.º 6412 (10/maio/1944) incorpora a via férrea para a Rede de Viação Paraná – Santa Catarina. Posteriormente, em 1957, pela Lei n.º 3.115 de 16/03/1957 a R.V.P.S.C. foi incorporada à Rede Ferroviária Federal S.A. (R.F.F.S.A). 

Conforme informações obtidas com Josimary Aparecida Evangelista Fogaça, da Fundação Cultural de Ibiporã, a atual estação ferroviária, um edifício construído em alvenaria, na década de 1950, veio substituir a antiga estação de madeira. 

Na década de 1990 a R.F.F.S.A. foi privatizada, através do Plano Nacional de Desestatização PND (Lei n.º 8.031/12/04/1990).(6) No Paraná, muitas estações ferroviárias passaram a ser desativadas, como estão sem manutenção adequada, algumas se encontram em estado lastimável de ruína e abandono, como a de Ibiporã. Tais estações tornaram-se sítios históricos das comunidades, os quais devem ser melhor apropriados para que as futuras gerações tenham-nos como referencial de sua história.

 

(1) - R.F.F.S.A. Sistema ferroviário da R.F.F.S.A. Rio de Janeiro: R.F.F.S.A./Departamento de Estatística e Documentação, 1997. p. 71
(2) - KROETZ, Lando Rogério. As estradas de ferro do Paraná (1880 – 1940). Tese de Doutorado: USP. São Paulo, 1985. p.115.
(3) - Ibid., p. 119.
(4) - WACHOWICZ, Ruy Christovam. Norte velho, norte pioneiro. Curitiba: Vicentina, 1987. p. 144.
(5) - KROETZ, Lando Rogério. As estradas de ferro do Paraná (1880 – 1940). Tese de Doutorado: USP. São Paulo, 1985. p. 125.
(6) - Decreto de 21/02/1997: Ferrovia Sul-Atlântico S/A (FSA) outorga de concessão a Malha Sul da Rede Ferroviária Federal S.A., abrangendo entre outras, a antiga SR-5 (Superintendência Regional-Curitiba). Atualmente, a empresa responsável é a América Latina Logística.

 
ver Livro

ver Fotos

 

Ver informações e conteúdo do LIVRO ESPIRAIS DO TEMPO

 

Recomendar esta página via e-mail: